Resultados 1° Trimestre

O aprimoramento da eficiência operacional, o crescimento da receita líquida no Brasil e o melhor desempenho de todas as unidades internacionais impulsionaram os resultados da Votorantim Cimentos em 2018. A companhia encerrou o ano com receita líquida global de R$ 12,6 bilhões, aumento de cerca de 15% ante os R$ 10,9 bilhões registrados em 2017. O EBITDA ajustado (sigla para lucro antes de juros, imposto, depreciação e amortizações) da empresa ao final do quarto trimestre de 2018 atingiu R$ 2,6 bilhões, crescimento de aproximadamente 51% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já a margem EBITDA ficou em 21% em 2018, uma elevação de cinco pontos percentuais na comparação com o ano anterior.  

"Nosso resultado de 2018 é fruto de nossa disciplina financeira, do foco contínuo em eficiência e competitividade, combinados com a racionalização do portfólio que realizamos, concentrando nossa operação em mercados estratégicos", afirma o CFO global da Votorantim Cimentos, Osvaldo Ayres Filho.  

Entre as principais medidas implementadas no ano passado pela Votorantim Cimentos estão a venda das operações de cimento na Índia e no Peru, a aprovação de diversos investimentos visando o aumento de nossa competitividade, a ampliação da capacidade de produção da empresa com a conclusão das expansões nas fábricas em Charlevoix, nos Estados Unidos, e em Olavarría, na Argentina, além da continuação do projeto de expansão da fábrica de San Luís,  também na Argentina, essa última com conclusão prevista para o quarto trimestre de 2019. O destaque das operações no Brasil, em 2018, foi o crescimento da receita líquida da companhia, com aumento real de preços decorrente do incremento de custos atrelados à produção e maior demanda. 

A Votorantim Cimentos chegou ao quarto trimestre de 2018 com uma alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida sobre EBITDA ajustado, de 3,6 vezes, melhora significativa em relação ao final de 2017, quando estava em 5,2 vezes. Em janeiro de 2019, a controladora Votorantim S.A. realizou um aporte de R$ 2 bilhões na Votorantim Cimentos, que foram utilizados para o pagamento de dívidas. Dessa forma, a alavancagem pro forma da companhia em janeiro de 2019 caiu para 2,8 vezes, ficando dentro dos limites estabelecidos por sua política financeira. 

"Esse novo aporte da Votorantim S.A. na Votorantim Cimentos demonstra, mais uma vez, a confiança do controlador na companhia, acelerando o processo de desalavancagem", diz Ayres Filho. 

Outro destaque de 2018 foi a criação da Votorantim Cimentos International (VCI), que a partir de então concentra todos os investimentos da empresa fora do Brasil. Baseada em Luxemburgo, a companhia criada em outubro de 2018 tem o objetivo de facilitar a continuidade da expansão internacional da Votorantim Cimentos, além de possibilitar uma gestão de capital ainda mais eficiente. 

No fim de 2018, a companhia anunciou ao mercado que, depois de mais de cinco anos à frente da empresa, Walter Dissinger, CEO Global, comunicou seu desejo de se lançar a novos desafios. Para sucedê-lo foi anunciada a chegada de Marcelo Castelli, executivo que iniciou sua história no Grupo Votorantim em 1997 e ocupou diversos cargos executivos até alcançar posição de CEO. Castelli liderará a empresa dando continuidade em sua trajetória de crescimento. 

Resultado no Brasil (VCBR) 

No Brasil, principal mercado da Votorantim Cimentos, houve crescimento da receita líquida em 2018, mesmo diante de uma retração do mercado de cimentos que, segundo dados do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC), caiu 1,2% entre 2018 e 2017. 

A receita líquida da empresa no Brasil alcançou R$ 6,6 bilhões, aumento de 13% em relação aos R$ 5,8 bilhões registrados em 2017. Já o EBITDA ajustado foi de R$ 1,0 bilhão no ano passado, crescimento de 198% ante os R$ 344 milhões de 2017. Além do melhor desempenho do mercado, o crescimento do EBITDA ajustado considera também o efeito positivo de itens não recorrentes ao longo do ano.  

Resultado na América do Norte (VCNA) 

A Votorantim Cimentos na região da América do Norte enfrentou um cenário positivo nos Estados Unidos, com aumento de volumes e preços, mitigados por um mercado desafiador no Canadá. No entanto, como o dólar sofreu um movimento de apreciação frente ao real ao longo do ano passado, o resultado da companhia nessa região acabou sendo impactado positivamente. 

Em 2018, a receita líquida foi de R$ 3,4 bilhões, 17% superior aos R$ 2,9 bilhões registrados em 2017. O EBITDA ajustado alcançou R$ 992 milhões em 2018, ante os R$ 868 milhões de 2017. 

Resultado na Europa, Ásia e África (VCEAA) 

Na região da Europa, Ásia e África, a Votorantim Cimentos encontrou demandas crescentes na Espanha e resultados positivos na Tunísia, ao passo que na operação localizada no Marrocos o mercado se manteve com alta margem EBITDA. Já na Turquia, em função da retração econômica, a demanda por cimento foi menor e impactou o negativamente o resultado da região. 

Além desses fatores econômicos e operacionais, a apreciação do euro ao longo do ano passado em relação ao real contribuiu para uma receita líquida na região de R$ 1,9 bilhão em 2018, crescimento de cerca de 14% sobre 2017, quando foi de R$ 1,7 bilhão. O EBITDA ajustado somou R$ 461 milhões no ano passado, contra R$ 423 milhões em 2017.  

Resultados na América Latina (VCSA) 

Na América Latina, o resultado foi impactado positivamente pelo desempenho do mercado uruguaio. A receita líquida na região foi de R$ 672 milhões, crescimento de 30% em relação aos R$ 517 milhões de 2017.  Já o EBITDA ajustado alcançou R$ 145 milhões no ano passado, um avanço de 47% em relação aos R$ 99 milhões de 2017. 

Vendas e Aquisições - Em julho de 2018, a Votorantim Cimentos fechou a compra das operações da Cemex (Cimento Vencemos do Amazonas Ltda), em Manaus (AM). A aquisição teve como objetivo aumentar a oferta de seus produtos nos mercados do Amazonas e Roraima, além de ampliar as facilidades logísticas e a diversificação geográfica e de portfólio. 

Em outubro do ano passado, a companhia efetuou a venda de sua participação de 50% na peruana Cementos Portland S.A. No mês seguinte, a Votorantim Cimentos transferiu 75% do seu capital na empresa Shree Digvijay Cimento Company Ltd. para um fundo privado baseado em Mumbai, na Índia. A expectativa é de que a transação seja completada no segundo trimestre de 2019, com a alienação do controle da operação indiana.

0