Programa realizado em Rio Branco do Sul recebe certificação do Selo Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

​​5ª edição do Selo ODM será entregue nesta quinta. Programa ReDes, realizado pela Votorantim Cimentos, beneficia 300 famílias de agricultores da região desde 2012

​​O Sesi-PR (Serviço Social da Indústria), por meio do “Movimento Nós Podemos Paraná”, que busca reconhecer e divulgar boas práticas para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), realiza nesta quinta-feira (20), a 5ª edição do Selo ODM.

​​O reconhecimento será entregue no 8º Congresso Sesi Paraná, realizado na FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná). O programa ReDes contribui para a consolidação e crescimento sustentável da Central de Distribuição de Alimentos do Vale da Ribeira.

O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade - Nós Podemos Paraná, articulado pelo Sesi-PR e com o apoio de diversas instituições paranaenses, visa reconhecer e divulgar boas práticas para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. A certificação reconhece projetos realizados por instituições públicas municipais e estaduais, privadas e do terceiro setor no Paraná. Ao todo, 208 empresas e instituições foram inscritas na 5ª edição, com 187 aprovadas. ​​

Sobre a Central de Distribuição de Alimentos​​

​​A Central de Distribuição integra o Programa ReDes (Redes para o desenvolvimento sustentável), que tem o apoio do BNDES, Instituto Votorantim e da Votorantim Cimentos desde 2012, quando teve início o projeto. “Incentivar o comércio de produtos da agricultura familiar é uma forma de criar novas oportunidades de aumento da renda, além de contribuir com a profissionalização do produtor rural”, comenta Mário Fontoura, Diretor de Operações da Regional Sul da Votorantim Cimentos.

​​No ReDes de Rio Branco do Sul e Itaperuçu, região metropolitana de Curitiba, foram investidos R$ 1,5 milhão na obra de construção do espaço, do viveiro de muda, além da compra de equipamentos e veículos. Na Central, é realizado o processamento e comercialização de alimentos, desde lavagem até o corte e a embalagem de frutas, verduras e legumes.

Ao todo, 300 famílias de agricultores, associados na ACARS (Associação do Conselho Agrícola de Rio Branco do Sul) e na APRAFI (Associação de Produtores na Agricultura Familiar de Itaperuçu) são beneficiadas com a Central de Distribuição de Alimentos, com aumento médio de R$ 117 na renda dos agricultores associados.​​

​​A inauguração da Central contribuiu para a profissionalização e fornecimento de alimentos com maior qualidade. “Essa parceria é fundamental. A agricultura familiar tem mercado para comercialização, mas precisávamos estruturar a nossa Central e profissionalizar o trabalho”, explica Alexandre Scelinski, presidente da associação ACARS.

​​Entre os objetivos do projeto relacionados aos ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) estão “Acabar com a fome e a miséria”, “Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente”, e “Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento”.​

0