Votorantim Cimentos emite € 500 milhões em títulos no mercado Europeu

A Votorantim Cimentos anuncia hoje a emissão de títulos em Euros junto a investidores internacionais. A operação marca a reabertura do mercado de captações externas para empresas brasileiras depois de quase seis meses sem ofertas. É a primeira emissão no mercado de capitais global de uma empresa brasileira em 2015.

Após três dias de reuniões com investidores em Londres, Paris, Amsterdã, Munique e Frankfurt, o mercado se mostrou receptivo à empresa, o que permitiu a emissão de €500 milhões em títulos com vencimento em 2022 a uma taxa de 3,5%. Apesar da precificação em um dia de alta volatilidade no mercado, a empresa emitiu títulos a taxas bastante favoráveis, reabrindo assim o mercado de capitais internacional para emissões de empresas brasileiras. A operação confirma a estratégia da companhia em gerir adequadamente seu perfil de liquidez e endividamento e seu compromisso com grau de investimento.

É a segunda vez que a Votorantim Cimentos realiza uma operação desse porte, sem garantia da holding - Grupo Votorantim - nos principais centros financeiros da Europa. Em abril de 2014, foram recomprados €446.5 milhões em títulos com vencimento em 2017 e taxas de 5,25%, e emitidos papéis totalizando €650 milhões com vencimento em 2021 e taxa de 3,25%.

"Mesmo neste cenário desafiador que o país está atravessando, e em um dia de alta volatilidade no mercado global de capitais, tivemos forte demanda pelos títulos da Votorantim Cimentos, assim como na operação feita em 2014, reforçando a credibilidade da empresa junto aos principais centros financeiros mundiais. A emissão foi feita sem garantia da holding e com taxas atrativas, o que evidencia a evolução da governança corporativa e a disciplina financeira da companhia", afirmou Lorival Luz, Diretor Vice-Presidente de Finanças e de Relações com Investidores da Votorantim Cimentos.

A disciplina financeira e o perfil conservador na gestão do endividamento da Votorantim Cimentos levaram recentemente a Fitch Ratings a reafirmar o rating da empresa, alterando a perspectiva de negativa para estável. A companhia possui grau de investimento BBB pelas agências classificadoras de risco Fitch Ratings e Standard & Poor’s; e Baa3 pela Moody’s, todas com perspectiva estável.

0