Avaliação de Ecoeficiência: pavimento de concreto X pavimento de asfalto

​A Votorantim Cimentos, buscou avaliar e comparar, em parceria com a Fundação Espaço ECO, a ecoeficiência da construção e manutenção durante um período de 20 anos de um pavimento rígido (concreto) contra um pavimento flexível (asfalto) de modo a analisar os benefícios econômicos e ambientais de cada sistema na construção e manutenção de estradas.

A metodologia usada foi a análise de ciclo de vida, uma ferramenta padronizada pela ISO 14040. Ela avalia o desempenho ambiental dos produtos ao longo de todo o seu ciclo de vida, desde a extração dos recursos naturais, passando por todos os elos de sua cadeia produtiva, por seu uso, até sua disposição final. Pode ser descrita como o resultado de todas as interações antrópicas com o meio ambiente, associadas ao atendimento de uma função.

Dados de produção de cimento foram retirados de nossa planta de Rio Branco do Sul (PR), dados de construção e manutenção de estradas da Associação Brasileira de Cimentos Portland (ABCP), que tem como referência o DER/SP e SICROII, dados de ciclo de vida dos bancos de dados (BEST, Ecoinvent) da Fundação Espaço Eco.

As estradas de concreto e asfalto foram comparadas nas seguintes categorias de impactos ambientais: efeito estufa, formação fotoquímica de ozônio, deformação da camada de ozônio, chuva ácida, eutrofização marinha, eutrofização água doce, toxicidade humana, água consuntiva, consumo de recursos e uso da terra.

Deste modo chegamos a resultados expressivos: Pode-se verificar que o pavimento rígido (concreto) se mostra mais ecoeficiente do que o pavimento flexível (asfalto) para estradas de alto volume de tráfego. No período de 20 anos, os custos de construção e manutenção foram 54% menores com a utilização do concreto e nas categorias ambientais, 6 das 10 analisadas foram favoráveis ao pavimento de concreto. Como resultado do estudo a estrada de concreto, dentro do escopo avaliado, premissas e considerações, é mais ecoeficiente quando comparada à de asfalto.

"A implantação deste modelo de ecoeficiência permite a quantificação e mensuração dos nossos avanços e a otimização da nossa pegada ecológica ano após ano em todo o ciclo de vida de produção dos nossos produtos". Disse Patrícia Monteiro Montenegro Gerente global de Relações Ambientais da Votorantim Cimentos.


Foto Case.JPG