Substituição de material reduz CO₂ em 50%

Somos os pioneiros no Brasil na produção de pozolana artificial, uma tecnologia inovadora que reduz as emissões de CO₂, um dos principais gases causadores do efeito estufa.​​

A pozolona foi resultado de esforços contínuos de nosso time, que buscava um material para substituir o clínquer, principal componente de todos os tipos de cimento, mas também um grande emissor de CO₂. Com alta resistência e durabilidade, a pozolona apresenta o diferencial de ter características sustentáveis, o que nos permitiu reduzir em 35% o uso de clínquer em nossos processos. ​

Além de emitir 50% menos CO₂ em sua produção, a pozolona exige 25% menos energia, 40% menos água, gera 10% menos resíduos e reduz os custos de produção em 6% em comparação ao processo tradicional.

Duas unidades já contam com fornos de pozolona desde 2009: Porto Velho (RO) e Nobres (MT). A primeira tem atendido a cerca de 200 clientes por mês com este cimento, com um volume total comercializado de aproximadamente 560 mil toneladas por mês.

A experiência em Porto Velho foi reconhecida pela Finep – Inovação e Pesquisa - como um dos melhores exemplos de desenvolvimento sustentável corporativo no Brasil.

Principais Metas: Desenvolver um substituto para o clínquer, principal componente de todos os tipos de cimento, mas também um grande gerador de emissões de CO₂.

Benefícios gerados: Menos emissão de CO₂ e geração de resíduos, além de economia de energia, água e menores custos.